Top 10: Melhores músicas de todos os tempos

Às vezes eu falo para a galera que meu gosto musical é eclético e muita gente não acredita. Obviamente que existem ritmos e estilos que eu gosto mais do que outros. Não gosto muito de samba e pagode, apesar de curtir bastante Raça Negra, SPC e pagode anos 90 no geral. Mas, somando o que tem de bom e ruim, acho que o que tem de ruim se sobressalta sobre o que tem de bom neste caso.

Rap metal e punk são os ritmos que mais me atraem e que possuem mais músicas boas. Grunge completa o pódio. Mas algo que a galera detesta e que eu curto muito é sertanejo universitário. Podem tacar pedras, mas eu curto muito tal estilo de música. Se pá é melhor que grunge. Lembrem-se de que fui criado no Faroeste Paulista e lá, porra, se tu não ouvir sertanejo é bom ir no médico para conferir a quantas anda teus ouvidos.

RATM_bdo
Hey yo, it’s just another bombtrack, yeah! It goes a 1, 2, 3…

Continue reading “Top 10: Melhores músicas de todos os tempos”

Babe nestes wallpapers e escolha qual ficará na sua área de trabalho

Uma das coisas que mais gosto de fazer é procurar por wallpapers novos para a minha área de trabalho. E cada um depende de uma época. Já teve o período de cenas de filmes, armas futuristas, paisagens futuristas, Japão feudal e, agora, voltei para algo mais básico: natureza. Foi aí que descobri o portfólio de Trey Ratcliff, que faz fotos realmente absurdas. Claro que a maioria dessas fotos só ficam fodas depois de um tremendo trabalho de edição mas, porra, dá uma olhada nos exemplos abaixo. Além da natureza, as lentes do cara também se enquadram nas paisagens humanas. Quem não curte uma megalópole iluminada?

Dá uma olhada nesse portfólio.

Fonte: Trey Ratcliff
Fonte: Trey Ratcliff

Continue reading “Babe nestes wallpapers e escolha qual ficará na sua área de trabalho”

Macacos, bichas e um zoológico de hipocrisia

No jogo de ontem entre Corinthians e Danubio (URU), válido pela 4ª rodada da fase de grupos de competição, mais um fato lamentável envolvendo discriminação racial ocorreu em gramados brasileiros. Elias, do Corinthians, foi chamado de “macaco” pelo jogador González da equipe adversária.

Esta não é uma exclusividade do Brasil ou da América Latina. Muito pelo contrário. Na Europa, a situação está no mesmo nível ou pior. Isso porque acompanhamos os campeonatos europeus. Não se sabe o que mais pode acontecer no “mundo árabe”, nos torneios ascendestes de China e Índia ou mesmo no Japão. E, infelizmente, este caso não será o último a ocorrer e, provavelmente, estamos longe de um fim.

Continue reading “Macacos, bichas e um zoológico de hipocrisia”