Cave Story não é um jogo inovador. Ele não traz uma jogabilidade nova. Você pode dizer que o sistema de upagem das armas é novo, mas não é uma maravilha. Seus gráficos são ultrapassados (fica entre NES e SNES). Sua história é bem clichê. Seu sistema de mapas é uma mistura de Mario com o aclamado Metroidvania. Mas ele é bom. Bom não, ótimo, maravilhoso.



Pode parecer um jogo comum, mas não é

Pra começar, Cave Story não é um jogo novo e nem foi feito por uma grande produtora. Muito pelo contrário: um maluco só (explica-se, ele é japonês) criou o jogo inteiro. Isso lembra muito os tempos do NES onde praticamente 3 ou 4 caras criavam um jogo. O que mais atrai no jogo é a sua velocidade no combate. Essa velocidade se dá por causa da faceta do long jump. O personagem é capaz de dar longos pulos e, nesses pulos, desferir dezenas de tiros.

As armas do jogo são os destaques. Cada uma é útil em uma parte do mapa. Por exemplo, as bolas de fogo são úteis em ambientes de descida, como a floresta que há no game. Os mísseis são para os lugares inalcançáveis e geralmente no alto. A metralhadora, como em qualquer jogo, é um tanto overpower, permitindo até a voar. Além disso, as armas são evoluídas com os triângulos amarelos que os adversários soltam. Com elas, você pode upar as armas até o nível 3. No entanto, caso você vá perdendo life a sua barra de experiência com a arma também vai diminuindo. Sorte que é apenas com a arma que se está usando.

Tá essa bagunça e olha que eu fiz a limpa na área

O esquema Metroidvania é uns dos mais bem usados depois dos jogos que dão nome a esse estilo. São várias idas e vindas no mesmo lugar. Uma das missões que mais bem explicam isso é uma em que você precisa buscar cinco cachorros perdidos em um mapa para ganhar uma chave (SPOILER: que acaba sendo roubada depois). Outra missão consiste em buscar elementos para montar um objeto.

Não consegui dar a screenshot enquanto voava
com a metralhadora. Sim, uma METRALHADORA

Já que falei de spoilers do jogo, preferi não trazer imagens de várias áreas. As screenshots que se vê aqui é de uma fase bem avançada do jogo, bem antes do chefão mais difícil do game.

Digo a mesma coisa que coloquei no post sobre Mari0. Se você é ligado nos gráficos e acha Modern Warfare 3 melhor que qualquer Unreal só por causa do número de polígonos, você está no jogo errado. Isso aqui é para os nostálgicos como eu. A trilha sonora tem aquela pegada de repetição como na época 16-bit, o que agrada muito. Os adversários são parados e atacam a esmo. Exceto os papagaios, os melhores adversários do jogo.


Aliás, papagaios do inferno que seguram caveiras que lançam ossos é uma das maiores viagens de ácido que já vi nos games. Mas, se pensar bem, está certo, por que todo papagaio é filho da puta. Se bem que os papagaios da série Donkey Kong Country não eram. Ah, foda-se.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s