Sabe aquele negócio de crítica construtiva? Parece que não existe mais. Pelo menos na internet, o que se vê é um amontoado de comentários, replies, respostas e afins sem qualidade. Blogueiros, youtubers e geradores de conteúdo em geral parecem ser o farol em meio ao oceano de merda que os cerca.


O que mais acontece na nossa querida internet é o fenômeno da “necessidade de opinião”. Aquilo que cai na tela de seu computador/tablet/smartphone precisa, de alguma forma e sem motivo aparente, de um feedback. Acontece, porém, um outro fenômeno associado a este, que eu chamo de “orkutização do QWERTY”. O maldito teclado está ali à frente e é usado da forma mais idiota possível.

O uso do teclado em excesso causa
problemas cerebrais irreversíveis

Veja o caso Teló, por exemplo. Não vou discutir a qualidade musical do cantor ou a controversa capa da Época. Neste caso, havia aqueles que, vendo os outros ao seu lado comentarem o assunto, sentiam a vontade de comentar. Mas comentar o quê? Bom, os comentários, nestes casos, começavam adjetivando o cantor de “lixo” para baixo. Aliás, dizer que algo é “lixo” é comum naqueles que não possuem argumento.

Outra coisa comum são os comentários sem ao menos ler o texto. O caso Teló é, mais uma vez, exemplo. Quem aqui leu a matéria completa? Nos blogs acontece a mesma coisa. O idiota lê o título do post (que pode conter uma ironia, uma metáfora ou simples comparação essencial para o entendimento do texto) e já comenta, criticando o conteúdo do post e o blogueiro.

Esta é outra prática comum mas,
se você achou isso engraçado, pare aqui 
Será que o idiota não tem o mínimo de tempo, paciência e capacidade para ler um texto longo? Talvez ele até tenha, mas a quantidade de follows e likes que ele deu em diversos sites lotam a timeline dele e o forçam a ver tudo rápido. Ele não se dá o luxo de deixar passar alguns minutos. Tudo precisa ser visto aqui e agora. O navegador do puto precisa estar com todas as abas possíveis abertas e carregando. E o que essa pressa gera? Ah, sim! Lixo!


Seria muito melhor o sujeito parar e pensar um pouco. Caso contrário, nada do conteúdo das 832 abas abertas entrará na mente. E assim ele continuará metendo o pau no trabalho dos outros sem ao menos saber do que se trata. Só para sua informação, enquanto escrevi este texto, ouvi “Ai se eu te pego” algumas vezes. Será que você leu até aqui para saber isso?

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s